16 agosto, 2014

Mini flash back

2010: ano da estreia em provas de corrida de rua.

Quando dei meu primeiro trote foi em cima de uma esteira velha de academia. Ainda lembro de comemorar os primeiros seis minutos correndo direto. Eu anotava os dados num caderninho, com informações de dia, hora, o tempo, qual esteira e tênis. Na época, o tempo correndo valia mais do que os metros percorridos. 

Eu lembro de ter vergonha de correr na esteira. Era meio desengonçada, pesada. Mas isso, principalmente, porque ninguém corria. Então, fazer todo aquele barulho chamava a atenção. Logo, parti para rua. Os treinos se tornaram mais cansativos. Em contrapartida, ganhei mais resistência e descobri que teria uma meia maratona em março. Eu mal sabia quantos quilômetros eu corria. Pedia para o marido marcar no carro o percurso de treino. 

Naquela época, eu não sabia da existência do garmin, da meia, short e camiseta dry-fit. Usava um tênis velho e surrado (o mesmo das aulas de jump), um top e camiseta de algodão. Fui descobrir o que era pisada neutra, pronada e supinada tempo depois, lá pelo segundo ano de corrida. 

Minha primeira prova foi um desastre. A 200 metros da linha de chegada, eu quebrei. Fui atendida pelo pronto-socorro.  Estava com hipotensão, devido ao forte calor. Mas, o erro mesmo foi ter corrido no ritmo dos outros. Por uma semana, chorei e tive medo de voltar pra pista. Mas, decidi encarar uma rústica de 5k no mês seguinte. Fiquei em quarto lugar na categoria 25-29 anos. Foi a superação.

Eu não tive um tutor, um professor quando ingressei na corrida. Foi na raça. Até hoje não sei direito porque decidi subir naquela esteira velha. Às vezes sinto que cai de paraquedas. No entanto, agradeço cada dia por isso. A corrida me transformou. Me deu qualidade de vida e bem-estar. É difícil resumir cinco anos num post, mas posso garantir que toda experiência com a corrida foi super válida. Merece mais de um mini flash back.

Forte abraço e bons km's!!

14 comentários:

  1. Oi, Helena!
    Cada um com sua bela história de início e superação, né? Eu comecei a correr influenciada pelo meu marido. Hoje ele não corre mais devido a uma lesão no tendão de aquiles e eu quero correr cada vez mais.
    Mas como você disse no post, a corrida tem esse poder de transformar as pessoas, e ela certamente me transformou numa pessoa melhor!
    Beijo e bons treinos,
    Dani.
    Blog Dani Corredora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dani,
      Cada um com sua história, mas com a corrida em comum, Tão bacana saber como os outros começaram também. Adorei a sua história também.
      beijinhos

      Excluir
  2. Respostas
    1. kkkkkk eu ri com seu parabéns. Quando lembro do início é piada mesmo. Obrigada pelo apoio de sempre lindona. Logo é você contando sua história aqui. beijinhos

      Excluir
  3. Não foi diferente de muita gente. Engraçado, né? Que sua jornada siga uma linha que só suba em melhora tanto de qualidade de vida, quanto em números nas corridas.

    Minha história foi de muito mais teimosia e cara de pau que de um atleta que nasceu para a coisa, como as que ouvimos na elite. E tenho certeza que são nossos casos que mais encantam ao invés dos grandes números daqueles magrelos. KKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ivan, acho que todo mundo no início se sente meio "intruso" no mundo corrida. Muita coisa pra aprender e rir ainda. Tenho um amigo que ganhou gel de carboidrato e achou que era vaselina para passar nas pernas. Só rindo...
      Sua evolução na corrida é gritante. Parabéns maratonista!!
      abraços

      Excluir
  4. ahhahahaha to vendo q vc era a perdida como eu. Aliás, acho q todos os corredores de hj começaram assim né? ahahahaha perdidos na esteira.
    Ain, só risada!!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, eu sempre fui meio lesada. Quanto mais lia as revistas, mais percebia que precisava aprender. Foi aí que nasceu a ideia do blog. Para pesquisar e trazer as dúvidas que para mim iam surgindo e iam se resolvendo. Eu tenho cada história de corrida, que valeria um conto. kkkk
      beijinhos e boas corridas!!

      Excluir
  5. Q legal!! Hahahah..n tem como n se divertir lendo isso.. me senti muito igual a vc! Tempo passou e olha q corredora hj és! Dividi, compartilha essa delicia q é o mundo da corrida...
    Obrigada Helena, por ter tempo de escrever pra gente. Bjs bom retorno às pistas!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dani, se me dizessem lá atrás que eu faria uma meia maratona, diria que era loucos. Hoje dizem que a louca sou eu. kkkkk A paixão pela corrida cresce a cada dia. Amo e respeito demais. Obrigada pela parceria e amizade. Você é um dos presentes que a corrida me deu. beijinhos

      Excluir
  6. Simplesmente, EMOCIONANTE ! Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ivana.
      Meu carinho pra ti.
      beijos

      Excluir
  7. Que história legal Helena, não tenha dúvida que vc ganhou mais alguns anos de vida com essa atitude de começar a correr...
    Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Fábio.
      Acredito que sim. Mais saúde e qualidade de vida. abraço

      Excluir

Obrigada por visitar o Blog Correndo de bem com a vida!
A participação de vocês é o principal incentivo para continuar escrevendo.
Sempre respondo os comentários. Volte aqui depois e veja sua resposta. =]

Um Abraço e bons treinos.
Helena Clebsch Vidal

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...